Orgulho e Paixão – Darcy culpa Elisabeta por confusão

Em Orgulho e Paixão,  Darcy (Thiago Lacerda) esta incomodado pelo fato de Elisabeta (Nathalia Dill) ter se aproximado de Olegário (Joaquim Lopes). Para Darcy, a mocinha permitiu aproximação de Olegário.

“Minha culpa?! Do que você está falando, senhor Darcy, se nem sabe o que se passou essa noite?”. “Estou falando desse caos todo do qual você mesma foi vítima. E que em parte você criou…”, responderá Darcy. “Criei?! Você por acaso está falando do muro que tive que pular com Jane para fugir das garras de Julieta? Do tempo que ficamos perdidas na noite desta cidade que nem conheço?! Do assalto que sofremos, do cocheiro aproveitador que nos levou pra um lupanário, do leilão que meia dúzia de homens babões quase fizeram de mim e da minha irmã?! Nem por isso estou vendo vítima aqui. Muito menos culpados!”, dirá Elisabeta.

“Desculpa, fui enfático como nós costumamos ser. O que quis dizer é que você se abre demais pro mundo. E, por isso, ele te responde com o mesmo furor. E tudo isso acontece”, responderá Darcy.

“Discordo: você se expressou bem sim. Está dizendo que é culpa minha porque a vida devolve na mesma moeda a intensidade que deposito nela. Realmente, por essa lógica, eu mereci de fato as desventuras desta noite”.

“Não que mereça…”. “Saiba, senhor Darcy, que olho pra vida com olhos generosos. Que espero sempre belas notícias, ótimos acontecimentos, bons ventos. O destino jamais me retribuiria com amargura, porque não é assim que enxergo o mundo. Acha o que? Que escondido atrás desse seu prumo, desse rigor todo que você tem, está protegido das rasteiras da vida? Está enganado”, retruca Elisabeta.

“Chega! Isso não é uma competição! Mas esse seu otimismo e espontaneidade, tem um preço!”. “Se o preço for viver demais, com eventos demais, com emoções demais, não me importo!”, dirá Elisabeta.

“Mas você não está sozinha no mundo. Com esses arroubos, você se coloca mais disponível do que deveria nas relações. Se por um lado isso alimenta seu ego, por outro confunde os sentimentos de outras pessoas”. “Ah, então é isso? Essa conversa toda na verdade é para falar sobre o sujeito da festa?”, perguntará Elisabeta.

Comentários